>>Colecione moedas e cédulas do Brasil e do Mundo!!! Venha ser um colecionador...

NÃO É SÓ UMA MOEDA... É O RESUMO DE UMA VIDA!

Olhando minha coleção de moedas hoje, peguei uma peça comemorativa dos 50 anos de Brasília, ao rever os rabiscos das alegorias da moeda comecei a pensar sobre como foi viver no quadradinho candango até hoje. Não pude deixar de agradecer aos personagens que tornaram possível esta experiência única de viver na jovem capital de todos os brasileiros. Brasília é minha terra, minha vida e minha história! Aqui meus avós deram seu suor,meus pais enfrentaram as mais duras batalhas em uma lugar com pouca estrutura para os mais humildes... Venceram as desconfianças e formaram nossa família! Uma família que não possui as tradições políticas e financeiras, nem possui terras de sumir das vistas... Nossa família veio de homens e mulheres que abandonaram o sofrimento e a incerteza de um nordeste esquecido pelo Brasil. Com coragem e determinação seguiram as trilhas empoeiradas e repletas de promessas rumo ao sonho de um futuro melhor para as gerações futuras de trabalhadores de pés empoeirados e sofridos pela busca do “novo”... Não foi fácil viver em Brasília! Uma cidade construída para pulsar o coração do poder, construída para abrigar a nata da sociedade brasileira, construída para elevar o Brasil ao próximo nível do desenvolvimento e integração nacional, mas principalmente construída para alimentar os sonhos e as ilusões de um povo escravo da fome, da miséria e das incertezas de outrora... Sou grato por Brasília me oferecer a história de um pioneirismo familiar! Grato pela vontade do “seu Pedro” e a “dona Julia” em terem trazido meu pai para o planalto central... Grato pelo “Salvador e a dona Augusta” terem juntos com seus filhos, contribuído para a formação do grade homem que foi meu pai... Grato por minha mãe “dona Leda” ter deixado o nordeste e sua família aos prantos para começar sua caminhada por Brasília, grato por ter conseguido um tio que na hora mais difícil, me carregou no colo e fez um verdadeiro papel de pai... Grato por saber o valor da poeira da estrada, do trabalho duro, da comida do pé sujo, da vendinha do caxeta, dos velhos jogadores de dominó, da infância nos barracos de madeira da ainda mocinha Candangolândia, que mesmo com seu mar de poeira nos abrigava com carinho e nos emprestava seu chão para chamar de casa! Não é fácil viver em Brasília, com sua secura, seu dinamismo, seus problemas, suas crises e seus caprichos... Mas não imagino minha vida longe dela! Amo minha terra. Terra herança, solo sagrado e berço da minha felicidade.

PODCAST - PAPO NUMISMÁTICO 001

O VALOR É HISTÓRICO - Dicas numismáticas para os amigos que curtem este belo hobby. Quem quiser receber as atualizações é só se inscrever em nosso canal no youtube e ficar por dentro das novidades!!! Em breve vídeos e muito mais...


NA TERRA DO SOL NASCENTE

Moedas comemorativas - Entrega da Bandeira Olímpica e Paralímpica Rio 2016 - Japão 2020

Quem curtiu colecionar as moedas dos jogos RIO-2016 não terá muito tempo para respirar, pois já temos novidades!!! Para iniciar os trabalhos visando os jogos de 2020 as moedas comemorativas estão de volta! "Entrega da Bandeira Olímpica" da cidade do Rio de Janeiro para a cidade de Tóquio. A Casa da Moeda do Japão anunciou uma futura cunhagem de duas moedas alusivas aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de 2020. A cunhagem das peças deverá ser iniciada neste mês de setembro e deverão ser comercializadas ainda este ano, no máximo até dezembro de 2016. Os desenhos dos cunhos incluem as bandeiras dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos ornados com flores de cerejeira (árvore simbólica no Japão) presentando o país sede, assim como as flores do ipê-amarelo representando o Brasil (O ipê é uma arvore simbólica brasileira e muito comum nas alamedas e jardins de Brasília). Também estão visíveis as legendas Rio 2016 e Tokyo 2020.

5000 RÉIS SANTOS DUMONT E SUAS CURIOSIDADES

A última prata circulante no Brasil...

Em 1936, a Casa da Moeda do Brasil lançou uma moeda comemorativa de 5000 réis com a efígie de Santos Dumont, pai da aviação no reverso e com uma asa representando a aviação no anverso.
Alberto Santos Dumont foi um aeronauta, esportista e inventor brasileiro. Dumont é considerado por muitos brasileiros como o inventor do dirigível, do avião e do ultraleve.
Santos Dumont projetou, construiu e voou os primeiros balões dirigíveis com motor a gasolina. Esse mérito lhe é garantido internacionalmente pela conquista do Prêmio Deutsch em 1901, quando em um voo contornou a Torre Eiffel com o seu dirigível Nº 6, transformando-se em uma das pessoas mais famosas do mundo durante o século XX. Com a vitória no Prêmio Deutsch, ele também foi, portanto, o primeiro a cumprir um circuito pré-estabelecido sob testemunho oficial de especialistas, jornalistas e populares.
Santos Dumont também foi o primeiro a decolar a bordo de um avião impulsionado por um motor a gasolina. Em 23 de outubro de 1906, ele voou cerca de 60 metros a uma altura de dois a três metros com o Oiseau de Proie' (francês para "ave de rapina"), no Campo de Bagatelle, em Paris. Menos de um mês depois, em 12 de novembro, diante de uma multidão de testemunhas, percorreu 220 metros a uma altura de 6 metros com o Oiseau de Proie III. Esses voos foram os primeiros homologados pelo Aeroclube da França de um aparelho mais pesado que o ar, e possivelmente a primeira demonstração pública de um veículo levantando voo por seus próprios meios, sem a necessidade de uma rampa para lançamento.
Anverso: Apresenta o valor de circulação legal de 5000 Réis, e em sua parte superior apresenta a palavra Brasil, no centro da moeda há a presença de uma ASA aberta, essa é a mitológica asa de Ícaro, o primeiro homem que teve o sonho de voar. Ícaro construiu asas de cera de abelha e penas de aves e se lançou de um despenhadeiro em Creta no mar egeu, buscando alcançar a Itália, porém na lenda de ìcaro, as asas derreteram quando ele se aproximou do sol. E a moral da história era de que todos os mortais deveriam respeitar os desígnios dos deuses, inclusive para poder ou não voar.
Como Ícaro sempre foi a simbologia do desejo do homem de voar, suas asas como símbolo foram usadas por Santos Dumont , por isto as asas cunhadas na moeda comemorativa

UMA CURIOSIDADE SOBRE A MOEDA
A última emissão de uma moeda de prata para circulação comum cunhada no Brasil foi justamente de 1936 até 1938, e a moeda de 5$000 Réis homenageando Santos Dumont também marcou a história monetária brasileira por ser a última prata a circular no comércio brasileiro.

INFORMAÇÕES TÉCNICAS
A moeda em questão é de prata 600, ou seja 60% prata e também possui em sua composição 40% cobre.

Especificações:
Diâmetro: 27,5mm - Espessura: 2,2mm - Peso: 10,0g - Bordo: liso

Cunhagem
C-448: 1936 - 1.986.000
C-456: 1937 - 414.000
C-465: 1938 - 994.000

DAS RARIDADES
Podemos afirmar que a moeda de maior raridade é a peça datada de 1937 por sua baixa cunhagem.

UM PRESENTE QUASE EXCLUSIVO...

Um set de moedas do padrão Real

Hoje não é um artigo comum! Trago para os amigos a imagem de um set de moedas do padrão Real que me foi apresentado por um dos diretores da Casa da Moeda do Brasil, neste set a moeda de um real faz referência aos 50 anos do banco central e todas estão em estado de flor de cunho. Este presente é quase que exclusivo, pois são utilizados para presentear pessoas importantes que fazem a visita as instalações da CMB. Um belo presente que ficará guardado em minha coleção com muito carinho.

AS MOEDAS OLÍMPICAS


A Rio 2016 vai chegando ao final e muitos amigos ainda possuem duvidas de quantas são e quais são as moedas comemorativas das olimpíadas. Um amigo me pediu para postar algumas informações adicionais sobre as moedas olímpicas da Rio 2016. Visando atender o pedido do colega adicionei algumas imagens que podem servir para auxiliar cada um no complemento de suas coleções.
Tudo começou em 2012 quando ao fim dos jogos olímpicos de Londres o COI (Comitê olímpico internacional) passou para o Brasil a incumbência de organizar os próximos jogos... Assim tivemos o primeiro lançamento das moedas olímpicas! Datadas de 2012, uma foi a de hum real colocada para circulação comum e a outra de 5 Reais em prata e com acabamento proof para colecionadores. Logo depois ao longo dos anos até o ano de 2016 foram lançadas as outras moedas de circulação comum, de prata e a de ouro! Vale lembrar que foram feitas algumas de circulação comum em embalagens especiais para colecionadores. Infelizmente não estou com as moedas para realizar uma postagem ainda mais interessante pois não estou em minha casa, mas deixo estas imagens que podem servir como norte para cada um de vocês e qualquer dúvida, respondo nos comentários! Espero ter ajudado...







MAIS SIMPLES QUE OS PRESIDENTES ATUAIS


Dom Pedro II era um Rei simples e acessível...

Muitas pessoas hoje pensam que nosso Rei era incessível ou coisas do tipo! Fiquem sabendo, que era mais fácil ter contato com Pedro II nas ruas do que com os presidentes atuais, que vivem em uma ostentação que nem nosso Rei o fazia! Era comum vê-lo caminhar como uma pessoa normal com seu amigo e médico Conde Mota Maia pelas ruas da Cidade do Rio, como um senhor qualquer de classe média da época. Leia este relato feito pelo próprio Dom Pedro II em seu diário:

“Estava eu e mui Mota Maia andando pela a rua ouvidor quando lembro em comprar um regalo para meu neto mais moço, escolhi o agrado e fui pagar à senhorita do balcão do estabelecimento comercial, quando lhe entreguei uma nota de réis ela ruborizou-se olhando para nota onde minha velha face estava ao centro da impressão, a jovem olhou para mim e desmaiou em seguida. Mota a examinou e brevemente acordou timidamente, começou a fazer reverências que eu nunca tinha assistido ou recebido. Depois do susto saímos à calçada, avistei flores, peguei um ramo vistoso, voltei à loja e entreguei a simpática senhorita. Hoje foi um dia bom, porém sempre fico reflexivo sobre tais momentos onde fica claro que meu povo ainda me enxerga como um Rei Medieval dos contos que lia quando infante, mas vi admiração e um belo sorriso no rosto belle enfant, foi compensador.”
(Diário de Pedro II, disponível na Biblioteca Nacional e cópias no Museu Imperial de Petrópolis).

200 mil réis 1878