5 CENTAVOS 1990 “O VALOR DO AÇO” – Raridade ou moda?

A numismática sempre nos surpreendendo. Quem diria que uma moeda de aço inoxidável poderia valer até R$300,00 (trezentos reais)... Isso mesmo! Esta moeda que ilustra nossa postagem pode chegar ao incrível valor citado. Uma coisa posso afirmar com a maior das convicções! A maioria dos colecionadores acham um verdadeiro absurdo uma moeda que foi cunhada em um total de 934.000 peças ter um valor tão próximo ao de uma casaquinha 500 Réis de 1932 com uma tiragem de 34.214 peças, número muito inferior ao da moeda de aço. Eu passaria muito tempo citando cada uma das moedas que merecem maior apreço por meio dos colecionadores e não são lembradas. Uma das mais famosas é a moeda de um real DH (cinquentenário da declaração universal dos direitos humanos) com suas 600.000 peças cunhadas e que ainda busca um lugar ao sol, mesmo tendo sido moda a pouco tempo nos leilões do finado Orkut e do cambaleante facebook também podemos citar uma moeda quase que totalmente esquecida, o cruzeiro de 1956, com 668.000 peças. Mas tudo isso tem um motivo...
500 Réis 1932 - Série Vicentina 34.214 peças cunhadas
1 Real - Declaração Universal dos Direitos Humanos - 600.000 peças cunhadas
Nosso hobby, ciência, comércio ou o meio que cada um pertence dentro do distinto mundo da numismática possui uma opinião formada sobre este tema. Posso dizer com o coração partido que virou uma bolha de especulações. Cada editor e autor dos grades catálogos do Brasil são comerciantes do ramo e deixaram de lado com o tempo, o romantismo pela ciência/arte que praticamos. Estamos diante de uma época das mais sombrias para a numismática, onde moedas olímpicas são verdadeiras raridades, onde moedas de aço são peças exaltadas... Certamente os comerciantes possuem um bom estoque destas raridades da moda ou seria a moda das raridades? Creio que o aço nunca valeu tanto em nosso meio! Mas devo voltar meus olhos ao quantitativo de peças que estes homens fortes da numismática possuem em seus estoques de inverno, peças que são quase como ouro em aço para quem mantém e fomenta um mercado ao pingar do conta-gotas. Estas peças vão entrando sorrateiramente no mercado, ano após ano, podemos ver os cultuados catálogos e seus criadores praticarem ou referenciarem os valores das peças baseados em seus ricos estoques.

Vou deixar para os leitores a pura e desanimadora realidade da numismática no Brasil:

- Se não tem dinheiro não entre na numismática.
- Se vender sua coleção, certamente não terá dinheiro para começar outra!
- 7 em cada 10 pedidos de amizade no facebook são de “leiloeiros virtuais”
- Numismática no facebook é igual Hinode
- Existe hoje um numero muito pequeno de numismatas, mas existe um numero expressivo de comerciantes que se intitulam numismatas. Mais de 90% para ser exato
- A as postagens culturais são mínimas em nosso meio, pois a maioria das informações são voltadas para o comercio.

Esta postagem foi um desabafo, pois poucos numismatas, colecionadores e entusiastas deste hobby, ciência e cultura do colecionismo do meio circulante mundial sabem a realidade que tanto perturba nosso meio. Existem comerciantes corretos e que amam a numismática e tratam com carinho e cuidado a história que possuem em suas mão, mas como disse antes! São uma parcela muito pequena em um mar de rejeitos numismáticos.

Vamos tocando a vida, pois enquanto o mundo gira a gente se vira! Não é? Ia me esquecendo!!! A moeda de aço inoxidável 5 centavos 1990 é a bola da vez, mas em minha humilde opinião... É MODA!!!

Deixe sua opinião nos comentários e o seu +1! Com sua opinião fazemos uma coleção mais forte e objetiva
5 CENTAVOS 1990 “O VALOR DO AÇO” – Raridade ou moda? 5 CENTAVOS 1990 “O VALOR DO AÇO” – Raridade ou moda? Reviewed by BRUNO DINIZ on fevereiro 19, 2018 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.