A ORIGEM DAS PALAVRAS QUE DEFINEM OS NOMES DAS MOEDAS

O dinheiro é uma forma desde cedo usada pela humanidade para simbolizar valores e facilitar compra e venda sem recorrer às trocas. Estas podem ser complicadas, como no caso de se trocar um bando de patos por meio carneiro vivo.

Houve já numerosos nomes para as moedas de cada nação, algumas com origens bem curiosas.

 MOEDA  –  quando o Império Romano se estava esfacelando, um grupo de bárbaros tentou escalar a parte da muralha de Roma junto à qual, pelo lado de dentro, se situava um templo dedicado a Juno, a deusa que era esposa de Júpiter.

Os gansos consagrados à deusa, que estavam no terraço do templo, deram o alarme e os soldados romanos acorreram e afugentaram o inimigo. Gansos são ótimos vigias, pois dão logo o alarme na presença de estranhos.

Agradecidos, os romanos declararam que aquele templo era dedicado a Juno Moneta, “a Juno que avisa”.

Esta palavra vem do Latim monere, “advertir, admoestar, avisar”.

Em época mais tardia, nesse templo, se estabeleceu um local onde se cunhavam discos metálicos, com valor definido, próprios para fazer negócios de compra e venda. Estes receberam um nome derivado da deusa do templo – ou seja, moneta, que virou nossa moeda.

 LIBRA  –  esta palavra vem do Latim libra, “peso”, literalmente “par de pratos de balança”. Inicialmente as moedas eram avaliadas conforme o seu peso. Daí que diversos meios de pagamento nacionais foram nomeados conforme a tradução da palavra peso, como o peso, a peseta, a lira, a libra.

Esta última é a que se usa em Português para a moeda britânica; os habitantes do Reino Unido a chamam de pound, que veio do Latim pondus, “peso”, de ponderare, “pesar”. Por extensão, usamos ponderar como “avaliar, pensar com profundidade sobre algo”.

Para sermos mais exatos, o nome da moeda é pound sterling, “libra esterlina”. A origem desta é discutida; aceita-se prevalentemente que derive do Inglês arcaico steorra, “estrela”, com o sufixo diminutivo –ling, dado que havia uma pequena estrela impressa nas moedas normandas cunhadas depois do século X.

 LIRA  –  é um derivado de libra. É a moeda usada na Turquia, Jordânia, Síria, Libano.

 PESO – foi uma moeda originada na Espanha e que teve muita importância no comércio da era das descobertas. Seu nome é o Espanhol peso, “peso”, e deriva do Latim Latim pensum, “certa quantidade de lã dada a um escravo para processar, tarefa”, de pendere, “pender, estar pendurado”, já que as balanças antigas funcionavam com pratos pendurados em braços.

Atualmente esse nome se usa em vários países de colonização espanhola, como Uruguai, Argentina, Filipinas, Cuba, Chile, Colômbia, Venezuela.

 FRANCO  –  não é mais a moeda francesa, pois foi substituído pelo Euro em 2002. Mas continua sendo usado em Lichstenstein, Suíça, Togo, Benin, Ruanda, Congo, Guiné, Senegal, Camarões e outros paíse africanos.

Seu nome deriva da inscrição das primeiras moedas, em 1360 onde aparecia o rei João II, o Bom, com o dístico  Rex Francorum, “rei dos Francos”.

E o nome desse povo vem do antigo Francês franc, “livre, não-servo, sincero, genuíno”. Viria do nome do povo germânico chamado Frank, que conquistou a Gália em torno do ano 500 e deu origem ao nome França para o país.

 RUBLO  –  é a moeda da Federação Russa. Vem do Russo antigo rubli, “toco, tampão”, provavelmente porque houve época em que as moedas eram cortadas fora de uma barra de prata.

 MARCO  –  foi a moeda alemã de desde a unificação do país, em 1871, até a introdução do Euro em 2002.

Seu nome vem de mark com o sentido de “sinal, característica, marca visível”, que por sua vez veio do Proto-Germânico marko, “fronteira, limite, sinal de demarcação de fronteiras”.

Atualmente, apenas a Bósnia-Herzegovina usa moeda com este nome.

 RÚPIA  –  usa-se na Índia, Nepal, Indonésia, Paquistão, Sri Lanka e ilhas Maurício e Seychelles.

Vem do Sânscrito rupya, “prata trabalhada, moeda de prata”, de rupa, “semelhança, imagem”.

 YUAN  –  é a moeda chinesa. Seu nome significa “objeto redondo”. Até a chegada de ocidentais em suas terras, os chineses usavam a prata como meio de pagamento através de pesagem. Com a introdução das moedas de origem espanhola, o nome foi aplicado aos meios de pagamento chineses.

 YEN  –  é a moeda japonesa. Tem a mesma origem que a chinesa.

 EURO  –  é a moeda corrente em numerosos países europeus. Foi oficialmente adotada em 1995 e entrou em circulação fisicamente em 2002.

Seu nome vem, evidentemente, de Europa. E o nome do continente, de onde vem? Como tantos nomes geográficos antigos, não se sabe direito. Ele vem do Grego Europa, de origem incerta. Há quem diga que este vem do Acadiano erebu, “descer, pôr-se (em referência ao sol)”.

 DÓLAR  –  do Baixo Alemão daler, de thaler, uma abreviação de Joachimsthaler, “do vale de Joachim (thal sendo ‘vale’)”, localizado no que era então o noroeste da Boêmia, hoje parte de República Tcheca. Nessa região havia minas de prata, a qual passou a ser cunhada em moedas a partir de 1520. Devido à origem do metal, as moedas começaram a ser conhecidas como joachimsthaler. Daí se originaram vários nomes de moedas, como o tallér húngaro, o tólar tcheco, o norueguês rigsdaler e, através do Holandês, o dollar do Inglês. Há uma palavra que todos conhecemos que é uma parente inesperada dessa moeda. Trata-se do nome dado ao hominídeo conhecido como Homem de Neanderthal, e a história é meio complicada e cheia de coincidências. No século XVII havia na Alemanha um ministro protestante e compositor de hinos religiosos chamado Joachim Neumann, que fazia muitos passeios inspiradores por determinado vale próximo à cidade de Düsseldorf. Seu sobrenome quer dizer “novo homem”, em Alemão. Ele gostava de ser chamado de Neander, que quer dizer precisamente isso em Grego (de neo, “novo”, mais anér, “homem”). O bom povo da região passou a chamar a região de Neanderthal, “o vale de Neander”, em homenagem ao religioso, ao redor de 1850. Foi ali que se descobriram os restos da espécie agora extinta e muito próxima ao Homo sapiens atual, com uma diferença genômica de apenas 0,12%. E aqui estão as coincidências: o fato de, num lugar chamado de “novo homem”, ter sido descoberto o que, na época, era mesmo um homem novo dentro da classificação geral. E o fato de haver um nome Joachim e um vale envolvidos no nome tanto do hominídeo como da moeda que ora estudamos.   

TOSTÃO  –  vem do Francês teston, do Italiano testone, “cabeça grande”, aumentativo de testa, “cabeça”. Isso porque essa moeda do século XIII apresentava inicialmente uma cabeça do governante do momento bem visível. Ela chegou a ser de ouro ou de prata, mas com o tempo acabou perdendo significado e sendo sinônimo de “dinheiro de pouco valor”.   VINTÉM  –  era antes uma moeda equivalente a vinte réis, daí o seu nome.   

DOBRÃO  –  do Espanhol doblón, de doblo, “duas vezes”, provavelmente porque valia duas moedas de dez maravedis.

CRUZEIRO  –  essa passou a ser a moeda corrente no Brasil por vários anos a partir de 1942. Seu nome foi escolhido a partir da constelação do Cruzeiro do Sul, um símbolo característico de alguns países de nosso hemisfério e que não pode ser avistado no hemisfério Norte. Não precisamos dizer que cruzeiro vem de cruz, do Latim crux.

CRUZADO  –  foi usado no Brasil entre 1986 e 1989 e sua origem é a mesma que a do cruzeiro.

DUCADO  –  foi o nome de moedas de diversas regiões da Europa, por serem emitidas pela autoridade mais alta de uma divisão político-geográfica conhecida por “ducado”, já que estava sob o comando de um duque. E esta palavra vem do Latim dux, “o que guia, líder”, que veio do Indo-Europeu deuk-, “guiar”.   

PISTOLA  –  o que é que o nome de uma arma de fogo está fazendo no meio destas moedas? Tem seus direitos: pistola foi o nome de várias moedas de prata européias. Veio do Latim plastrum, “achatado, encurtado”, o que descreve aceitavelmente uma peça metálica em forma de disco, como é o caso de uma moeda.  

ZLOTY  –  é a moeda atual da Polônia e quer dizer “feito de ouro”, o que foi o caso inicial. Por bastante tempo essa palavra foi usada para designar qualquer moeda de ouro que se usasse no país.

FLORIM  –  foi moeda na Inglaterra, Itália, Áustria e ainda é usada em Aruba. Seu nome vem da moeda cunhada em Florença, que era muito bem reputada. O símbolo desta cidade era estampado num dos lados; era uma flor-de-lis, de onde a denominação.
A ORIGEM DAS PALAVRAS QUE DEFINEM OS NOMES DAS MOEDAS A ORIGEM DAS PALAVRAS QUE DEFINEM OS NOMES DAS MOEDAS Reviewed by BRUNO DINIZ on maio 03, 2015 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.