>>Colecione moedas e cédulas do Brasil e do Mundo!!! Venha ser um colecionador...

O Dólar de Susan B. Anthony

Foto: NUMISMÁTICA NEWS - O Dólar de Susan B. Anthony 

Susan B. Anthony foi a primeira mulher a ser homenageada por ter sua semelhança comparada com a efigie que aparece em outras moedas de dólar. Também foi a primeira mulher dos Estados Unidos a aparecer em uma moeda circulante. Em 1978, o presidente Jimmy Carter assinou a Lei da moeda do dólar que trazia a efigie de Susan B. Anthony . Essa lei alterou a Lei da Cunhagem de 1965, alterando o tamanho, peso e desenho da moeda de um dólar. Em 2 de julho de 1979, a Casa da Moeda dos EUA divulgou oficialmente a moeda Susan B. Anthony.Susan B. Anthony foi a primeira mulher a ser homenageada por ter sua semelhança comparada com a efigie que aparece em outras moedas de dólar. Também foi a primeira mulher dos Estados Unidos a aparecer em uma moeda circulante. Em 1978, o presidente Jimmy Carter assinou a Lei da moeda do dólar que trazia a efigie de Susan B. Anthony . Essa lei alterou a Lei da Cunhagem de 1965, alterando o tamanho, peso e desenho da moeda de um dólar. Em 2 de julho de 1979, a Casa da Moeda dos EUA divulgou oficialmente a moeda Susan B. Anthony.



Sufragista, abolicionista, ativista de reformas educativas, trabalhista, Susan Brownell Anthony nasceu a 15 de fevereiro de 1820, em Adams, Massachusetts, e faleceu em 13 de março de 1906. Era filha de Daniel Anthony, um homem austero, dos Quakers (credo cristão anglo-saxónico), abolicionista, dono de uma fábrica de tratamento de algodão, e de Lucy Anthony. Susan era a segunda filha mais velha de oito crianças, aprendeu a ler e a escrever aos três anos de idade, demonstrando a sua precocidade. A sua família vivia numa atmosfera de rigor, sentido de justiça e zelo moral elevados, o que moldou bastante o carácter desta grande personagem do ativismo sufragista feminino nos Estados Unidos da América. 

Começou a trabalhar no ensino, onde esteve quinze anos, começando, então, de forma ainda pouco enérgica, o seu ativismo feminista. Não podia porém ser mais ativa já que era mulher. Entre os anos de 1846-1849 ingressou na academia feminina Eunice Kenyon's Quaker em Nova Iorque. Tentou, a partir de então, inverter essas limitações sexuais e, em 1852, avançou com um movimento de direitos da mulher, iniciando então a sua carreira sufragista. Percorreu todo o país nesta luta, lendo, pintando e discursando, não deixando ainda de fazer campanha a favor da abolição da escravatura. Em 1856, trabalhou na American Anti-Slavery Society. Lutou não só pelos direitos eleitorais das mulheres mas também pelos seus direitos à propriedade e aos rendimentos em paridade com os homens, incentivando a criação de organizações laborais femininas. Em 1856, com Elizabeth Cady Stanton, sua companheira de luta desde 1852, organizou a Women´s National Loyal League, de feição também anti-esclavagista. Em 1900, persuadiu mesmo a Universidade de Rochester a admitir mulheres. 
Nunca Susan B. Anthony se casou. Era uma mulher agressiva e arrebatada em tudo o que defendia, de grande energia e atividade. Manteve-se ativa até 13 de março de 1906, data da sua morte, com oitenta e seis anos.