Breve relato da História da moeda na Idade Média


Ourivesaria Reis Filhos na cidade do Porto em Portugal
 A Idade média caracterizou-se pela diminuição do comércio devido à desorganização social gerada pelas invasões bárbaras. Com isto, diminuiu a necessidade de uso de moeda. No entanto, em algumas regiões, como por exemplo no império bizantino, o comércio continuou a ser praticado em larga escala. Isto exigia uma moeda confiável e aceita por todos. Esta moeda era o nomisma, besante, histamenon ou solidus, famosa moeda bizantina de ouro.
Durante a Idade média, era comum se depositar ouro nas oficinas dos ourives visando à segurança do ouro contra eventuais ladrões. Em troca, os ourives emitiam títulos onde se obrigavam à devolução do ouro depositado. Para efetuar transações envolvendo o ouro depositado, as pessoas começaram a utilizar esses títulos como moeda, em vez de resgatar o ouro e efetuar as transações com o próprio metal, por uma questão de praticidade e segurança. Era o início das cédulas monetárias e dos bancos.
Em 1190, houve a primeira cunhagem da libra esterlina, na Inglaterra, durante o reinado de Ricardo II.
Em 1360, surgia o "franco", na França. O nome "franco" vem das primeiras cunhagens da moeda, que traziam a inscrição em latim francorum rex, que significa "rei dos francos".
Nomisma mostrando Jesus Cristo, à esquerda
 e o arcanjo Miguel e o imperador bizantino Miguel V, à direita
Nessa mesma época, do outro lado do Oceano Atlântico, no Império Asteca, outros materiais eram utilizados como moeda: sementes de cacau e feijão, pedaços de pano e tubos de penas de aves cheios de ouro em pó.
Enquanto isso, no continente asiático, o Império Khmer utilizava o escambo e os tecidos de seda no pequeno comércio e os metais preciosos nas transações de maior valor.[5]. Na África, a região do atual Moçambique utilizava búzios, aspas de ferro e raques de penas de pato preenchidas com ouro em pó como moedas.

No final da Idade Média, houve um renascimento comercial e urbano, no período conhecido como Baixa Idade Média (aproximadamente de 1000 a 1500). O comércio no Mar Mediterrâneo foi dominado por poderosas cidades mercantis como Barcelona, Pisa, Amalfi, Gênova, Florença e Veneza. Data desse período a invenção do cheque na Florença dos Médici. O banco dessa família, no século XIV, passou a emitir talões em branco onde o depositante podia escrever o valor que desejasse sacar de sua conta no banco.

Breve relato da História da moeda na Idade Média Breve relato da História da moeda na Idade Média Reviewed by BRUNO DINIZ on outubro 30, 2013 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.