>>Colecione moedas e cédulas do Brasil e do Mundo!!! Venha ser um colecionador...

AS MOEDAS DA AFRICA

Muitos amigos nos perguntam quais são as moedas em determinados países africanos, este post vem para ajudar no que tange a duvida dos amigos esclarecendo e pontuando cada moeda de acordo com o referente pais. O que muitos não sabem é que em breve teremos a União Africana que será o bloco econômico que representará a Africa e colocará em circulação uma unica moeda. Medida que visa fortalecer economicamente os países do continente.

O afro é a moeda oficial proposta para a União Africana, que consiste dos estados africanos da África do Sul, Argélia, Angola, Benim, Botswana, Burkina Faso, Burundi, Cabo Verde, Camarões, República Centro-Africana, Chade, República Democrática do Congo, República do Congo, Costa do Marfim, Djibouti, Egito, Eritreia, Etiópia, Gabão, Gâmbia, Gana, Guiné, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Lesoto, Libéria, Líbia, Madagascar, Malawi, Mali, Maurícia, Mauritânia, Moçambique, Namíbia, Níger, Nigéria, Quênia, Ruanda, Saara Ocidental, São Tomé e Príncipe, Senegal, Serra Leoa, Seychelles, Somália, Suazilândia, Sudão, Tanzânia, Togo, Tunísia, Uganda, Zâmbia e Zimbabwe.
A cronologia atual estabelecida pelo Tratado de Abuja pede para que o afro seja instituído pelo Banco Central Africano em 2028.
O Angolar foi a moeda oficial de Angola entre Setembro de 1926 e Dezembro de 1958. Substituiu o Escudo Angolano e foi por sua vez substituído por um novo Escudo. O Angolar foi emitido até Janeiro de 1929 por uma Junta de Moeda e partir dessa data pelo Banco de Angola.
O Angolar estava dividido em 100 centavos.
O ariary ou ariari malgaxe é a moeda usada em Madagáscar. Subdivide-se em iraimbilanja.
O birr, oficialmente birr etíope, é a moeda corrente oficial da Etiópia. Subdivide-se em cêntimos (santims). Birr é a moeda corrente da Etiópia, cuja tradução era thaller e de 1945 até 1976 foi dólar.
Mesmo com as diversas denominações, a moeda chama-se em etíope birr desde 1903 (1 birr = 16 ghersh), porém somente em 1931 a moeda foi decimalizada (1 birr = 100 metonnyas, também chamado matonas), mas atualmente a fração centesimal é chamada santim ou cêntimo.
O cedi (símbolo ), oficialmente cedi do Gana, é a unidade monetária do Gana. Costuma ser dividido em 100 pesewas, embora a inflação tenha eliminado essas subdivisões. O sinal da moeda (cedi) foi aceite em Unicode como U+20B5 (2004). O seu código ISO é GHS.
As moedas produzidas atualmente são: 10, 20, 50, 100, 200, e 500 cedi e as notas de banco produzidas atualmente são: 1 000, 2 000, 5 000, 10 000 e 20 000 cedi.
O dalasi ou dalase é a moeda corrente de Gâmbia e é subdividido em 100 bututs. Foi adotado em 1971 em substituição da libra da Gâmbia à taxa de 1 libra = 5 dalasis. Em 1971, moedas com as denominações de 1, 5, 10, 25 e 50 bututs e 1 dalasi foram introduzidas. O desenho do reverso das três moedas de valor mais elevado foram aproveitados das moedas da denominação anterior.
Uma nova moeda de 1 dalasi foi emitida em 1987, inspirada na moeda de 50 pénis do Reino Unido. Atualmente as notas em circulação são nos valores de 5, 10, 25, 50 e 100 dalasis. Notas de 1 dalasi foram emitidas no período entre 1971 e 1987. As notas atuais foram emitidas em 1996 e 2001.
Em 27 de Julho de 2006 novas notas foram emititdas, mantendo o desenho das anteriores, porém incluindo novos recursos de segurança contra falsificações.
O dinar argelino é a atual unidade monetária da Argélia. O nome da moeda é derivado do latim denarius. É dividido em 100 centavos ou cêntimos. O dinar foi introduzido em 1964, substituindo o franco argelino.
As moedas circulantes são as de 5, 10, 20, 50 e 100 dinares. Devido à massiva inflação que acompanhou as economias de transição para o capitalismo no começo dos anos 1990, as moedas de centavo perderam seu valor, por isso as moedas de 1 e 2 centavos são raramente usadas.1 Mesmo assim os preços são geralmente cotados em centavos na linguagem do dia-a-dia; então o preço de cem dinares é lido como "dez mil centavos" ou عشر الاف.
As notas em circulação são as de 100, 200, 500 e 1 000 dinares.
O dinar é a moeda corrente da Líbia. O dinar líbio é subdividido em 1000 dirham e foi introduzido em setembro de 1971 e substituiu a lira líbia. O dinar líbio é emitido pelo Banco Central da Líbia, que também regula o sistema bancário e regula o crédito.
Dinar sudanês, conhecido oficialmente por libra sudanesa, ou junaih é a moeda do Sudão e do Sudão do Sul.
O dirham, dirame, dirrã, dirém ou dinheiro marroquino é a moeda oficial de Marrocos, que se divide em 100 cêntimos. No mercado, estão disponíveis notas de: 200 DH, 100 DH, 50 DH e 20 DH. As moedas em uso são as de: 10 DH, 5 DH, 1 DH, e 0,50 DH
Não deve esquecer-se de que o dirham não se pode importar nem exportar e, por isso, a sua aquisição, bem como o câmbio para outras moedas é possível apenas dentro de Marrocos. Aconselha-se a não trocar dinheiro na rua. É ilegal. É melhor ir até aos pontos de cartaz dourado, que estão autorizados pelo Estado. Emitem recibos das operações, que serão indispensáveis para reconverter os dirhams que lhe sobrarem na moeda de origem, ao final da estadia.
A dobra são-tomense oficialmente apenas dobra, é a unidade monetária de São Tomé e Príncipe. A moeda esteve, antes da criação do euro, indexada ao escudo português e está atualmente indexada ao euro. As notas em circulação têm as seguintes denominações: 5 000, 10 000, 20 000 e 50 000 dobras. As moedas têm os valores de 0,50, 1, 2, 5, 10, 20, 50, 100, 250, 500, 1 000 e 2 000 dobras.
O dólar da Namíbia, de nome oficial, ou dólar namibiano, é a moeda oficial da Namíbia.
O dólar zimbabuano é a moeda nacional do Zimbábue, desde 1980 e é normalmente abreviado como Z$.
Atualmente, o dólar zimbabuano é uma das moedas mais desvalorizadas do mundo, devido ao colapso da economia do país.
Em julho de 2007, foi lançada a cédula de 200 mil dólares zimbabuanos, que apesar do elevado valor de face, era capaz de comprar pouco mais do que um quilo de açúcar. No mercado paralelo, a moeda, quando do seu lançamento, era cotada a 1 dólar americano. Menos de um ano depois foi necessário o lançamento de uma moeda com valor de face de 500 milhões. Em janeiro de 2009, foram emitidas notas com valor nominal de 100 trilhões de dólares zimbabuanos.
Esta moeda já sofreu duas reformas monetárias, sendo que na primeira houve o corte de 3 zeros e na segunda, ocorrida em agosto de 2008, foi efetuado o corte de 10 zeros, medida insuficiente para o controle da hiperinflação, que está em um nível de descontrole tão alto a ponto de superar o fenômeno hiperinflacionário ocorrido na Hungria logo após a Segunda Guerra Mundial.
Escudo cabo-verdiano (oficialmente escudo de Cabo Verde) é a unidade monetária de Cabo Verde.
A moeda cabo-verdiana esteve, desde meados de 1998 e até à criação do euro, indexada ao escudo português em resultado de um acordo de cooperação cambial com Portugal, que garantia a convertibilidade a uma paridade fixa em escudos portugueses e que criava igualmente uma linha de crédito com a finalidade de reforçar as reservas cambiais de Cabo Verde.
Está atualmente indexada ao euro, o que significa que sua cotação em relação a outras moedas depende da variação cambial do euro. As notas em circulação têm as seguintes denominações: 200, 500, 1 000, 2 000 e 5 000 escudos. As moedas têm os valores de 1, 5, 10, 20, 50 e 100 escudos. As notas e moedas de escudos cabo-verdianos só podem ser trocadas em Cabo Verde.
O escudo de Moçambique foi a moeda oficial deste país de 1 de Janeiro de 1914, quando ainda era uma colónia portuguesa, até 16 de Junho de 1980.
A moeda actual é o metical.
O franco do Burúndi ou do Burundi, de nome oficial, ou franco burundiano, burundinense ou burundinês é a moeda do Burúndi. Divide-se em 100 cêntimos.
O franco CFA é uma moeda corrente usada em doze países africanos, anteriormente possessões francesas(Camarões, Costa do Marfim, Burkina Faso, Gabão, Benim, Congo, Mali, República Centro-Africana, Togo, Níger, Chade e Senegal), sendo também usado na Guiné-Bissau (uma antiga colônia portuguesa) e na Guiné Equatorial (uma antiga colônia espanhola), perfazendo um total de catorze países. Atualmente, o franco CFA é dividido em duas moedas o franco CFA central, e o franco CFA ocidental. Embora o franco CFA central tenha o mesmo valor monetário que o franco CFA ocidental, ele não é aceito em países que utilizam outro e vice-versa.
Entre 1945 e 1958, CFA era a abreviação de colônias francesas da África, assim a moeda criada recebeu o acrônimo CFA, ficando franco CFA. Com o estabelecimento da quinta república francesa, e a independência desses países africanos no começo dos anos 1960, o franco CFA ainda continuou sendo usado, mas com outro significado para o acrônimo CFA, agora Communauté Financière Africaine (Comunidade Financeira Africana).
O franco congolês é a atual moeda em circulação na República Democrática do Congo. Divide-se em cêntimos.
O franco da Guiné, de nome oficial, ou franco guineense é a moeda da Guiné.
O franco do Jibuti, de nome oficial, ou franco jibutiano é a moeda do Jibuti. Franco do Djibuti. Até 1949, Djibouti pertencia a " Zone Franc des Colonies Françaises d’Afrique ", que foi alinhado com o franco Francês. Mas a saída da segunda guerra, 1945-1949, o franco francês desvalorizou de forma constante e ganhou sua paridade das colônias franco. Neste contexto, a reforma monetária ampla foi realizada na área denominada Somalilândia Francesa (CFS), em março de 1949. O objetivo da reforma monetária foi, em primeiro lugar, para fornecer o Território, com uma taxa de câmbio que conheceu a sua especificidade geográfica e promover o surgimento local de um centro financeiro regional estável, que pode ser especialmente para o profundamente enraizado na sub-região (Iémen, Sudão e Somália) e, por outro, para se proteger contra a deterioração da situação na Indochina interesses econômicos britânicos. Naquela época, duas moedas de referência utilizadas para as operações no Mar Vermelho e da Península Arábica: a Libra Esterlina e os EUA através do reforço da liderança econômica dos Estados Unidos após Dólar Segunda Guerra Mundial. Mas, dada a rivalidade entre os ingleses e os franceses, o dólar era privilegiado. Outro evento também explica a escolha. Em junho de 1945, a Etiópia, o principal cliente do porto de Djibuti, está reformando sua estrutura monetária, estabelecendo o dólar etíope, que está atrelado ao dólar dos EUA. Assim, dado o afastamento e isolamento da área, para garantir a sustentabilidade do alinhamento do dólar dos EUA, a fim de fornecer aos operadores com prescrições específicas de estabilidade, a área foi equipada com uma tampa moeda exatamente igual à quantidade de moeda em circulação (20 milhões de DJF) para satisfazer qualquer pedido de conversão. A questão está garantida por depósito em dólares colocados em um banco francês: "French americano Banking Corporation", em Nova York. Enquanto isso, o privilégio de o show é dado Tesouro francês. O valor da Franc-Djibouti é EUA $ 1 = 214,392 DJF e a data de 17 de março de 1949, a Somaliland francês deixou de pertencer à Zona Euro. Entre 1949 - 1973, Franc paridade Djibouti foi alterado apenas duas ocasiões (em 1971 e 1973, data desvalorização do dólar dos EUA): o Djibouti Franc, foi reavaliada. A última igualdade permaneceu inalterada por um quarto de século.
O franco ruandês é a moeda utilizada em Ruanda. O franco tornou-se a moeda de Ruanda em 1916 quando a Bélgica ocupou esta antiga colônia alemã e o franco congolês substituiu a rupia afro-germânica oriental. O franco congolês foi utilizado em Ruanda até 1960, quando foi introduzido o franco ruandês e o Franco de Burundi. Em 1964 Ruanda começou a cunhar seus próprios francos.
O kwacha, cuacha ou quacha do Maláui é a moeda do Malawi, desde 1971. Divide-se em 100 tambala. O nome kwacha deriva da palavra em línguas Língua nianja e bemba que significa "alvorada", enquanto que o nome “tambala” significa o "galo", na língua cinyanja (o símbolo da Independência). O galo aparecia nas primeiras moedas de uma tambala. O kwacha substituiu a libra malawiana em 1971.
O kwanza é a unidade monetária de Angola.
Desde 1977 circularam em Angola quatro moedas diferentes com o nome kwanza. O kwanza foi introduzido após a independência de Angola. Substituiu o escudo em paridade e estava subdividido em 100 lwei. As primeiras moedas foram cunhadas sem data de emissão, apesar de todas ostentarem a data da independência do país, 11 de Novembro de 1975 e a inscrição "RP DE ANGOLA" (República Popular de Angola). Tinham denominações de 10, 20, 50 lwei, 1, 2, 5 e 10 kwanzas. Em 1978 foram cunhadas moedas de 20 kwanzas. A última data a aparecer nestas moedas foi 1979. As primeiras cédulas datavam de 1976, mas só foram emitidas em 1977 pelo Banco Nacional nas denominações de 20, 50, 100, 500 e 1.000 kwanzas. A nota de 20 kwanzas foi substituída pela moeda em 1978. Em 1990, o novo kwanza foi introduzido. Apesar da sua paridade em relação ao kwanza anterior, os angolanos só puderam trocar 5% das notas antigas por novas. O resto das notas teria que ser trocado por títulos do governo. O novo kwanza foi vítima de uma forte inflação. Foram emitidas apenas notas. As primeiras cédulas emitidas em 1990 eram apenas impressões sobrepostas em notas antigas, com a nova designação: novo kwanza. As cédulas tinham as seguintes denominações: 50 (informação não confirmada), 500, 1.000 e 5.000 novos kwanzas (os 5.000 novos kwanzas eram reimpressões dos antigos 100 kwanzas). Em 1991, a palavra "novo" foi abandonada nas emissões de notas de 100, 500, 1.000, 5.000, 10.000, 50.000, 100.000 e 500.000 kwanzas. Apesar da taxa de câmbio para o kwanza anterior ser de 1000 para 1, tão pequeno era o valor do kwanza antigo, a nota mais pequena emitida foi de 1000 kwanzas reajustados. A inflação continuou, tendo havido notas de 5 milhões de kwanzas reajustados. Não foram emitidas moedas. Apesar de taxa de conversão, o valor do kwanza antigo tinha-se depreciado de tal ordem que a denominação menor das notas de banco foi de 1.000 kwanzas reajustados. Foram também impressas notas de 5.000, 10.000, 50.000, 100.000, 500.000, 1.000.000 e 5.000.000 kwanzas. A introdução desta unidade monetária permitiu a reintrodução de moedas. Em 1999, foi introduzida uma segunda unidade monetária chamada simplesmente kwanza. Mas, ao contrário do primeiro kwanza, esta nova moeda estava subdivididas em 100 cêntimos. Com o segundo kwanza foram reintroduzidas as moedas.
O leone é a unidade monetária da Serra Leoa e encontra-se dividida em 100 cêntimos. Sendo que leone é uma palavra derivada do nome do país.
A libra sul-sudanesa é a moeda oficial do Sudão do Sul. É subdividida em 100 piastras. Foi aprovado pela Assembleia Legislativa do Sudão do Sul antes da separação em 9 de julho de 2011, do Sudão. Foi introduzido em 18 de julho de 2011, e substituiu a libra sudanesa, e inicialmente em paridade com a moeda sudanesa.
As notas apresentam a imagem de John Garang, o falecido líder do movimento de independência do Sul do Sudão.
Seis valores faciais (1, 5, 10, 25, 50 e 100 libras) na forma de notas, e cinco (1, 5, 10, 25 e 50 piastras) na forma de moedas, foram confirmadas.
Três novas notas de 5, 10 e 25 piastras foram emitidas em 19 de outubro de 2011.
O loti é a unidade monetária do Lesoto. Encontra-se subdividido em 100 cêntimos. Está ligado ao rand da África do Sul na base 1:1 e ambas as moedas são aceites como moedas no Lesoto. Em 7 de Janeiro de 2005 eram necessários 7,97177 maloti para um euro.
O metical oficialmente metical de Moçambique, é a moeda de Moçambique, que substituiu a moeda colonial, o Escudo de Moçambique, em 16 de Junho de 1980 (vigésimo aniversário do Massacre de Mueda).
O nome desta moeda tem origem numa antiga “moeda”, usada no período pré-colonial, formada por ráquis de penas de aves cheias de ouro em pó.
A Naira é a moeda da Nigéria. É subdividida em 100 kobo. O símbolo para o naira é 
A nakfa é a moeda corrente do Estado da Eritreia. Subdivide-se em cêntimos.
O peso foi a moeda da Guiné-Bissau de 1975 até 1997 e sua sub-unidade compreendia 100 centavos. A moeda foi substituída pelo Franco CFA, quando da entrada na União Monetária dos Estados da África Oriental - UEMOA (Union Économique et Monétaire Ouest Africaine), sendo convertida a uma taxa de 65 pesos por franco CFA.
Foram emitidas: moedas de 50 centavos, 1, 2½, 5 e 20 pesos e cédulas de 50, 100 e 500 pesos (a partir de 1975), a cédula de 1000 pesos foi introduzida em 1978, seguida pelas cédulas de 5000 pesos em 1984 e 10000 pesos em 1990.
Pula é o nome da moeda do Botswana. Está dividida em 100 thebes. Pula significa chuva em tswana e sua fração, o thebe, significa gota, em referencia ao escasso e precioso líquido. Existem notas de 10, 20 50 e 100 pulas e moedas de 1, 5, 10, 25 e 50 thebes e 1, 2 e 5 pulas.
A pula foi introduzido em 1976, substituindo o rand da África do Sul.
O rand ou rande é a moeda corrente oficial da África do Sul. Seu nome vem de Witwatersrand, abreviação de White-waters-ridge, que traduzindo ao português significa "Montanha das Águas Brancas"; montanha essa que tem a cidade de Johannesburgo construída e onde era a maior reserva de ouro da África do Sul.
O rand teve início em 1961, coincidindo com a instituição da República da África do Sul, substituindo o peso sul-africano a uma taxa de dois rands por peso. Com o símbolo R, o rand pode ser dividido em 100 centavos – símbolo ‘c’, e está disponível em 5 notas, (R10, R20, R50, R100 e R200) e sete moedas (5c, 10c, 20c, 50c, R1, R2 e R5). As moedas de um e dois centavos também foram disponibilizadas até suas descontinuações, em Abril de 2002, mas devido à inflação que as desvalorizaram, e os preços que foram arredondados para 5c, elas não estão mais em circulação. As primeiras cédulas do rand tinham a imagem do Jan Van Riebeeck, o primeiro administrador da Cidade do Cabo, e na década de 1990 as notas foram redesenhadas com a imagem dos big five, cinco animais selvagens mais difíceis de serem caçados. As novas cédulas e moedas também foram impressas nas 11 línguas oficiais na África do Sul.
O xelim somaliano é a moeda oficial da República Federal da Somália. Divide-se em 100 cêntimos.
O xelim tanzaniano é a moeda da Tanzânia desde sua independência em 1964, quando substituiu a moeda colonial inglesa. Cada xelim divide-se em 100 sentis.

Para além do xelim e da moeda inglesa, no século XX a Tanzânia utilizou o marco alemão (“Reichsmark”) no período da Primeira Guerra Mundial e a moeda omanense, antes de 1914. Existem actualmente as moedas de 50 senti, 1, 5, 10, 20, 25, 50 e 100 xelins e as notas de 500, 1000, 5000 e 10000 xelins.