>>Colecione moedas e cédulas do Brasil e do Mundo!!! Venha ser um colecionador...

O Cruzeiro em alusão a rica Fauna aquática brasileira


Quinze de março de 1990, chegava ao fim o impopular governo de José Sarney, marcado sobretudo pela estagnação do PIB e pela hiperinflação. Assumia Fernando Collor, um político desconhecido até meados da década de 80 mas, surpreendentemente vitorioso nas eleições presidenciais de 1989. O símbolo da modernidade, a esperança de um Brasil renovado, sua posse foi vista e saudada no país inteiro, parecia o momento da ruptura para o crescimento econômico e desenvolvimento social.
Apenas um dia após sua posse, é anunciado o plano que causaria o maior choque econômico da história do Brasil: o Plano Brasil Novo, mais conhecido como Plano Collor. O resultado foi a aniquilação da economia, uma recessão sem precedentes, desemprego e volta da inflação, sem contar a corrupção institucionalizada. A Câmara aprovou o impedimento de Collor que renunciou às vésperas da votação.

O Plano contemplava a mudança da moeda Cruzado Novo para, pela terceira vez, denominar-se Cruzeiro. A Medida Provisória nº 168, de 15/03/1990 (DOU de 16/03/90), convertida na Lei nº 8.024, de 12/04/1990 (DOU de 13/04/90), restabeleceu a denominação CRUZEIRO para a moeda, correspondendo um cruzeiro a um cruzado novo. Ficou mantido o centavo. A mudança de padrão foi regulamentada pela Resolução nº 1.689, de 18/03/1990, do Conselho Monetário Nacional.

A fauna como tema

As primeiras moedas tinham tema relativo a figuras típicas de certas regiões brasileiras para, logo de imediato, por conta da inflação galopante, novas moedas serem lançadas com motivo relativo à fauna aquática: peixe acará (Cr$ 1000), tartaruga marinha (Cr$ 500) e peixe-boi (Cr$ 100). Circularam de 13/07/1992 a 15/09/1994, inclusive durante o padrão Cruzeiro Real, quando foram recolhidas e substituídas pelas moedas do real.

Cr$ 1000, acará
 
Acará (Pterophyllum) é um gênero de peixes de água doce, pertencente à família Cichlidae que compreende atualmente três espécies endêmicas da América do Sul. Vive em cardume e alimenta-se predominantemente de pequenos crustáceos, peixes, larvas, insetos e outras matérias orgânicas. Na época da reprodução formam casais que passam a defender um território e afasta dele todos os peixes que o habitam. Moedas de aço inoxidável, 20 mm de diâmetro, produzidas em 1992 e 1993.

Cr$ 500, tartaruga marinha

As tartarugas marinhas, da família Cheloniidae, são répteis que vivem nos oceanos em áreas tropicais e subtropicais. O tamanho das tartarugas marinhas adultas pode variar de 1m até 2m de comprimento. Estes répteis se alimentam, principalmente, de medusas, camarões, esponjas e águas-vivas. Moedas de aço inoxidável, 19 mm de diâmetro, produzidas em 1992 e 1993.


Cr$ 100, peixe-boi

Os peixes-bois constituem uma designação comum aos mamíferos aquáticos da família dos triquequídeos (Trichechidae). Possuem um grande corpo arredondado, com aspecto semelhante ao das morsas. O peixe-boi-da-amazônia (Trichechus inunguis) atinge 2,5 metros e pode pesar até 300 quilos, habita apenas em águas doces das bacias dos rios Amazonas e Orinoco. Moedas de aço inoxidável, 18 mm de diâmetro, produzidas em 1992 e 1993.




Fonte: Resumo baseado em      Histórias que o dinheiro conta – Cintra e Torelli;
Imagens e textos da Internet; Wikipédia.