>>Colecione moedas e cédulas do Brasil e do Mundo!!! Venha ser um colecionador...

A coleção de moedas do Império Bizantino

A coleção de moedas do Império Bizantino, também denominado Império Romano do Oriente, inicia-se com a ascensão ao trono do imperador Anastácio I, que reinou do ano 491 a 518 d.C.
Quando Justiniano I assume o governo, em 527 d.C., o Império Romano tem os mesmos limites territoriais que, na época do imperador Diocleciano 284-305 d.C, dividiu o maior império, já formado em toda história, em quatro regiões administradas independentemente, por ele e por três outros governantes. Em 308 d.C., essas regiões foram unificadas, duas a duas, formando o Império Romano do Ocidente, com sede em Roma, e o Império Romano do Oriente, com sede na cidade de Bizâncio. Em 324 o Imperador Constantino I, o Grande, reunificou o Império Romano, mudando sua capital para Bizâncio, declarando-a como a capital cristã, a qual posteriormente foi denominada Constantinopla, atual Istambul, ponto estratégico militar e de rota comercial para diversos povos da antigüidade. Em 395 d.C., o império foi definitivamente dividido entre os dois filhos do Imperador Theodosio. Em 476 d.C., quando Rômulo Augusto, o último imperador do Império Romano do Ocidente, foi deposto pelo bárbaro Odoacro, Roma deixaria de existir como a maior e mais poderosa nação do planeta.
Sob o governo de Justiniano, os limites do Império Bizantino são gradativamente expandidos. Com os persas é firmado um acordo de paz. Em direção oeste, seus generais Belisário e Narses realizam importantes conquistas na consolidação do Império: a África do Norte em 535 d.C., a Itália, em 553 e o sul da Espanha em 554 d.C. Após a morte de Justiniano, em 565, a Itália é conquistada pelos longobardos, a qual havia sido conquistada anteriormente dos ostrogodos.
O Império Bizantino, após incessantes lutas com povos árabes, turcos, bárbaros e persas, atinge sua maior extensão no período de 976-1025 d.C. Em 1203 é conquistada pelos Cruzados e finalmente em 1453 é dominada definitivamente pelos turcos otomanos.

A ARTE NAS MOEDAS BIZANTINAS

Desde o início do Império Bizantino, nota-se claramente uma tendência bastante estilizada na imagem dos governantes e nas divindades representadas. Com a escassez de dinheiro, decorrente das contínuas batalhas e constantes deslocamentos, a falta de metal nobre e principalmente de artistas especializados na arte monetária, as moedas cunhadas no primeiro período do Império são verdadeiras cópias das moedas utilizadas no final do Império Romano do Ocidente. A fim de preservar um aparente economia estável, as moedas de bronze, denominadas "Follis" passaram a ser cunhadas em dimensões maiores que as verificadas no extinto Império ocidental e verifica-se uma longevidade de circulação, em função de seu peso ser superior a unidade monetária utilizada anteriormente.
A imagem de Jesus Cristo é apresentada pela primeira vez em moedas. E as variedades são diversas. Ora em pé, ora em trono, de frente, ao lado da Virgem Maria e do Imperador. Diversas séries monetárias, em ouro, electrum, prata e bronze apresentam o busto de Cristo. São expressões jamais vistas em cunhagens que circularam por todos os povos do Oriente Médio à África, passando pela Arábia até a Espanha. É a divulgação da religião adotada por Constantino I, o Grande que, quando em confronto com o exército de Maxêncio, seu rival, encontrava-se em grande desvantagem numérica com o exercito adversário, surge no céu a imagem de uma cruz com a legenda: IN HOC SIGNUS VINCES (SOB ESTE SIGNO VENCERÁS). Constantino - segundo o biógrafo Eusébio - ordenou a todos os soldados que colocassem uma cruz em seus uniformes e a inscrição do monograma cristão IC/XC, as duas primeiras letras do nome Cristo (XRISTYS), como proteção divina, o que culminou com a vitória sobre seus inimigos. Após esse episódio, Constantino, o Grande, instituiu o cristianismo como religião oficial do império. Aliás, a cruz do calvário é representada em diversos reversos de moedas bizantinas.
A UNIDADE MONETÁRIA DO IMPÉRIO BIZANTINO
No início do Império Bizantino, a adoção de uma medida monetária similar ao utilizado no Império Romano do Ocidente e Oriente se fazia necessária para manter o comércio com os povos vizinhos. Os padrões monetários adotados inicialmente, basearam-se na emissão de moedas em ouro denominadas de solidus e de moedas cunhadas em cobre, denominadas follis submúltiplo do nummis.
O anverso era sempre comum a todas as emissões, ostentando o busto do imperador de frente, ao contrário dos romanos que em 90% das emissões eram apresentados de perfil.
Nos reversos das moedas de ouro era comum a representação de uma Victória alada com longa cruz ou da imagem de Cristo, da Virgem Maria ou de São Miguel Arcanjo. Nas de prata era comum a representação da cruz do calvário, muitas vezes associada à imagem de Cristo, da Virgem Maria e até mesmo do busto do imperador.

O Sistema Monetário Bizantino era constituído por:

OURO
PRATA
COBRE
SOLIDUS
SEMISSIS
TREMISSIS
MILIARENSE
SILIQUA
FOLLIS
NUMMUS
1
2
3
12
24
180
7200

1
1 ½
6
12
90
3600


1
4
8
60
2400



1
2
15
600




1
7 ½
300




 
1
40






1

Os reversos das moedas de cobre eram identificados por uma grande letra (no alfabeto grego ou latino), que simbolizava o seu valor facial:

DENOMINAÇÃO
VALOR
LETRA EM GREGO
LETRA EM ROMANO
1 Follis
40 Nummia
M
XXXX
¾ Follis
30 Nummia
Λ
XXX
½ Follis
20 Nummia
K
XX
¼
Follis
10 Nummia
I
X
1/8
Follis
5 Nummia
Є
V
1/40
Follis
1 Nummion
Α
I

AS CASAS DA MOEDA DO IMPÉRIO BIZANTINO

Nome
Localização
Letra Monetária
Período de Operação
Alexandretta
Norte de Antiochia
vAlign=top>
ΑЛЄЖАΝΔ
609-610
Alexandria
vAlign=top>
Egito
ΑΛЄΞ,ΑΛΞΟΒ
vAlign=top>
525-646
Antiochia/ Theupolis
Siria
vAlign=top>
NA, ANTIX, ANTX, ΓΗЄ
μ
Р, P,ΘVΠΟΛS,

ΘS
512-610
Carthago
vAlign=top>
Norte da África
CAR, KAR, KART, CT, CRT
ς,
KRT
ς
vAlign=top>
533-695
Carthagena
Espanha
vAlign=top>
-
560-620
Catania
vAlign=top>
Sicilia
CAT
vAlign=top>
582-629
Cherson
Crimea
vAlign=top>
XЄPC
ω
NOC, XЄPCONOC, Π, ΠX
527-65/582-602/
866-86/976-1025
Constantia
vAlign=top>
Chipre
KVΠPOV, KVΠPδ, KVΠP, CΠP
vAlign=top>
610 e  629-629
Constantine
Numidia (Norte da África)
vAlign=top>
COM
540-541 /592-593
Constantinople
vAlign=top>
Atual Turquia
COM, CONOB, CONOS, COB
vAlign=top>
1204-1261
Corinth
Grécia
vAlign=top>
-
1143-1195
Cyzicus
vAlign=top>
Turquia
KYZ, KY
vAlign=top>
518-629
Isaura
Cilicia
vAlign=top>
ISAYR
617-618
Magnesia
vAlign=top>
Oeste de Anatólia
-
vAlign=top>
1214-1261
Naples
Itália
vAlign=top>
641-668 / 715-717
Nicaea
vAlign=top>
Turquia
-
vAlign=top>
1208-1214
Nicomedia
Turquia
vAlign=top>
NIKO, NIK, NIC, NIKM, NIKOMI, NI
498-627
Nicosia
vAlign=top>
Chipre
-
vAlign=top>
1184-1191
Perugia
Itália Central
vAlign=top>
P
552-553
Phillippopolis
vAlign=top>
Thrace (Norte da Grécia)
-
vAlign=top>
1092
Ravenna
Norte da Itália
vAlign=top>
RAV, RA, RAB, RAVEN, RAVENNA
540-751
Roma
vAlign=top>
Itália
ROM, ROMA, RO , R , ROMOB.
vAlign=top>
741-775
Salona
Costa da Dalmácia
vAlign=top>
-
527-565
Sardinia
vAlign=top>
Itália
S
vAlign=top>
695-715
Seleucia
Sul de Anatólia
vAlign=top>
SЄLIS
μ,
SEL'
615-617
Syracuse
vAlign=top>
Itália
SECILIA, SCL, CVPAKOVCI
vAlign=top>
582-602
Thessalonica
vAlign=top>
Norte da Grécia
TЄS, ΘЄC, ΘЄS, THESSOB, TESOB, THSOB
vAlign=top>
630 / 1081-1118

AS LEGENDAS E INSCRIÇÕES

Abaixo, estão relacionadas as inscrições que mais freqüentemente aparecem nas moedas bizantinas:
CONOB - (constantinopolis obryciacus) no exergo -CON (stantinopolis) OB(ryciacus)
DN - (Dominus Noster)
SERV CHRISTI - (Servvus Christi)
IHS CRISTUS REX REGNANTIUM - (JESUS CRISTO Rei dos Reis)
PF AVG - (PIVS FELIX AVGVSTVS)
МР ΘΡ - (Mãe de Deus)
ЄΜΜΑΝΟVHΛ - (Deus está conosco)
ΙΧ  ΧС - (Jesus Cristo)
ΙħSЧS  XRISTЧS  ЬΑSILЄЧ  ЬΑSILЄ - (Jesus Cristo Rei dos Reis)
ЬΑSILЄЧS ROМAIOΝ - (Rei dos Romanos)
P.P. AVG - P (er) P (etuus) AVG (ustus)) - (Augustus perpétuo)
Fonte: www.angelinicoins.com