>>Colecione moedas, cédulas, selos e cartões telefonicos do Brasil e do Mundo!!! Venha ser um colecionador...>> Entre Cédulas, Moedas, Selos e Histórias é uma página do Historiador e Numismata Bruno Diniz >> Contato: brunocelest@gmail.com >> Siga nossa coleção no Google+ >> Inscreva-se em nosso canal no Youtube!!! >>

Quem imprimia o dinheiro brasileiro?


    O Plano Cruzeiro Antigo teve suas cédulas emitidas inicialmente pela American Bank Note Company (Primeira Estampa), depois pela Thomas de La Rue (Segunda Estampa) e depois pela Casa da Moeda do Brasil (Terceira Estampa, ou cédulas do Índio). Houve também mais um, que na verdade tratou-se de um reaproveitamento que ocorreu em 1942, quando foram carimbadas cédulas de Réis: Waterlow & Sons, responsável pela emissão da cédula de "Cincoenta" Mil Réis, a lendária C005, cujo valor em SOBERBA chega quase a R$ 30.000,00. 

     Conheça abaixo a história de cada Órgão Impressor desse período da numismática nacional;


AMERICAN BANK NOTE COMPANY (A.B.N)

     Fundada em 1795 como Murray, Draper, Fairham & Company, prosperou quando a jovem população dos Estados Unidos se expandiu e novas instituições financeiras surgiram. Produziam certificados em geral, papel-moeda para várias nações e para bancos estatais, selos (de 1847 a 1894) e vários outros ítens impressos.

      Seguindo o "Pânico de 1857", sete dos mais importantes órgãos impressores do país migraram para formar a American Bank Note Company, em 29 de Abril de 1858. A nova companhia tomou Nova Iorque como sede. Menos de dois anos depois, uma parte dos órgãos impressores independentes que resistiram ao "Pãnico de 1857" migraram para formar a National Bank Note Company.

        Para ficar perto dos bancos e afins na baixa Manhattan, a American Bank Note Company estabilizou-se em Nova Iorque, na 55 Wall Street. A companhia se mudou depois para a 142 Broadway (na esquina da Liberty Street) em 1867, e depois para a 78-86 na Trinity Place em 1882. Mudou-se novamente em 1908 para a 70 Broad Street.

           O primeiro papel-moeda foi circulado pelo Departamento de Tesouro dos Estados Unidos seguindo o surto da Guerra Civil. O Congresso autorizou o valor de 60 milhões nessas "Cédulas de Demanda" entre 17 de Julho e 5 de Agosto de 1861. Por contrato com o Governo, o papel-moeda chamado "greenbacks" pelo povo, foi produzido pela American Bank Note Company e a National Bank Note Company. Um total de 7,25 milhão de notas foram produzidas com o valor facial de 5, 10 e 20 dólares. 
https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/7/7d/US-$20-DN-1861-Fr.12.jpg/1126px-US-$20-DN-1861-Fr.12.jpg
(Foto: Um "greenback" de 20 Dólares impresso pela American Bank Note Comapny e emitido pelo Tesouro Americano)


      Após produzirem papel-moeda para os Estados Unidos, a ABNCo buscou nova fonte de demanda para seus serviços. Encontraram-na no estrangeiro. Do final do século 19 até o final do 20, a empresa imprimiu papel-moeda e outros ítens de alta segurança para 48 países.

       Foi o primeiro Órgão Impressor do Plano Cruzeiro Antigo, responsável pela Primeira Estampa deste que compreendeu o período entre 1942 e 1966. 
http://sphotos-g.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-prn1/561288_570880169613592_694898782_n.jpg
(Foto: 2 Cruzeiros de Primeira Estampa, impressa em 1958 pela American Bank Note Company. Ítem da coleção particular de Artur Araripe)


     A American Bank Note Company existe até hoje, imprimindo cartões e afins. Possui inclusive um site na internet: http://abnote.com

THOMAS DE LA RUE 

    É uma fabricante britânica de impressoras e fabricante de papel em geral (papel-moeda, artigos de papelaria, etc...). Fou fundada em Londres em 1821 por Thomas de La Rue. Em 1958 teve seu nome alterado para Thomas de La Rue Company Plc (Public Limited Company).
      Dentre vários produtos, a de La Rue vende papel de alta segurança e tecnologias de impressão para mais de 150 países. São considerados a maior empresa do ramo no mundo.
       No Brasil, foram os responsáveis pela impressão da Segunda Estampa do Cruzeiro Antigo, período compreendido entre 1950 e 1965. A única variação entre a Primeira Estampa foi a coloração diferenciada entre cada cédula, combinando com a cor de seu reverso. As cédulas de Primeira Estampa possuiam anverso azul. Alguns detalhes do relevo também foram modificados.

http://sphotos-d.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-prn1/p206x206/564313_570880182946924_819638525_n.jpg
(Foto: 5 Cruzeiros de Segunda Estampa, datada de 1950 e ainda autografada. Ítem da coleção particular de Artur Araripe)
    A Thomas de La Rue existe até hoje. Seu site é: www.delarue.com

WATERLOW & SONS, LIMITED

     A Waterlow & Sons originou-se do negócio de James Waterlow, que começou a produzir cópias litográficas de documentos legais em Birchim Lane, em Londres, em 1810. A empresa cresceu gradualmente, iniciando-se com selos em 1852. Os filhos de James Waterlow (Alfred, Walter, Sydney e Albert Waterlow) juntaram-se ao negócio. James Waterlow faleceu em 1876 deixando aos filhos a empresa. Em 1877 a empresa dividiu-se em decorrência de uma disputa familiar: Alfred Waterlow formou com seus filhos a Waterlow & Bros Layton. As duas empresas fundiram-se novamente em 1920.
      Em 1936 imprimiram as cédulas de 50 Mil Réis, que foram reaproveitadas em 1942 recebendo a dupla super impressão rosácea com os dizeres "Casa da Moeda - 50 Cruzeiros). Foram reaproveitadas as cédulas das séries 79 e 85, além de algumas da série 86. É uma das mais valiosas cédulas nacionais, valendo em catálogo R$ 30.000,00 em estado Soberba. Até hoje não há no mercado um exemplar em FE, sendo este, portanto, ítem de extrema raridade. Poucos colecionadores podem gozar-se de possuir essa raridade, até mesmo em estados de conservação inferiores.


(Foto: A lendária C005, em foto retirada da internet. Poucos colecionadores gozam de possuí-la).
     A Waterlow & Sons foi dissolvida em 2009, após algumas crises internas.