>>Colecione moedas, cédulas, selos e cartões telefonicos do Brasil e do Mundo!!! Venha ser um colecionador...>> Entre Cédulas, Moedas, Selos e Histórias é uma página do Historiador e Numismata Bruno Diniz >> Contato: brunocelest@gmail.com >> Siga nossa coleção no Google+ >> Inscreva-se em nosso canal no Youtube!!! >>

Carlos Drummond - Cédula de 50 Cruzados Novos - Iconografia


A temática das cédulas do sistema monetário brasileiro do Cruzado Novo é voltada para as grandes expressões da cultura nacional. A cédula de cinquenta cruzados novos é dedicada ao poeta e cronista Carlos Drummond de Andrade (1902/1987). 
Drummond, nascido na cidade mineira de Itabira, tornou-se no Brasil deste século uma presença tão vigorosa quanto a de Machado de Assim em relação a seu tempo. Suas crônicas são testemunho de toda uma época, revelando e interpretando angústias, alegrias e perplexidades do homem contemporâneo.
A extraordinária sensibilidade, o fino humor, a perfeição com que manipula as palavras, tão característicosde sua prosa, são qualidadesque se extremam em sua poesia, na aprofundada interpetração do mundo e de si mesmo. folder BCB 50 cinqüenta cruzados novos
Emissão: 1989 a 1990 - Circulação: 16 janeiro de 1989 a 15 de março de 1990
Órgão Emissor: Banco Central do Brasil - Fabricante: Casa da Moeda do Brasil
Estampa foi aproveitada, por "carimbo" tipográfico, para o padrão Cruzeiro (1990)
A cédula
O formato é de 140 x 65 mm, padrão adotado para as notas do  sistema monetário cruzados novos,  e as cores dominantes são o cinza e o marrom. Elementos de segurança presentes: marca dágua reproduz a efígie da república, registro coincidente, fio de segurança com magnetismo e fibras coloridas.
A cédula está impressa pelos processos calcográfico, ofsete e tipográfico. Desenharam o projeto gráfico Amaury Fernandes da Silva Jr e Thereza Regina Barja Fidalgo, as gravuras manuais são de Zélio Bruno da Trindade e Mario Dittz Chaves.
Anverso
Traz efígie do homenageado e fixa alguns traços característicos da vida e da obra do poeta. No fundo de segurança da cédula temos a figuração de pedras representando o minério e o calçamento de caminhos e ruas da antiga Itabira, também estão representados o casario da cidade e as montanhas da região onde nasceu o poeta. O trecho manuscrito do poema "Prece do mineiro no Rio" é transcrito juntamente com sua assinatura. No canto direito, temos a autocaricatura de Drummond utilizada para o registro perfeito entre o anverso e o reverso. 

Reverso
No fundo de segurança da cédula temos o desenho característico do calçamento de Copacabana - Rio de Janeiro, onde o poeta viveu muitos anos e produziu a maior parte de sua obra. Uma gravura  representando o poeta em sua mesa de trabalho, domina a parte frontal da cédula. À direita da gravura estão reproduzidos os versos poema "Canção Amiga".