Mais um grande brasileiro - Para o meu amigo Roberto da Silva Rodrigues - ES


Augusto Ruschi
As escolas brasileiras não falam mais sobre certos assuntos ou personalidades que fizeram parte da historia do nosso pais, temos o péssimo costume de lembrar apenas de políticos e autoridades judiciárias quando temos que batizar uma rua ou uma praça, mas em meu blog gosto de contar a historia de brasileiros ilustres que verdadeiramente contribuíram para o crescimento e desenvolvimento desse vasto pais! Por isso vamos falar desse brasileiro nascido em Santa Teresa no dia 12 de dezembro de 1915, foi um agrônomo, ecologista e naturalista. É o Patrono da Ecologia no Brasil e um dos ícones mundiais da proteção ao meio ambiente.
O interesse pelo estudo de insetos e outros animais desde a infância, permitiu que conhecesse a fundo diversos ramos da biologia. Quando adulto, tornou-se professor titular da UFRJ e pesquisador do Museu Nacional, com vasta produção técnico-científica. Ajudou no combate a pragas na agricultura, na implantação de diversas reservas ecológicas brasileiras, como o Parque Nacional do Caparaó, e na divulgação científica acerca da natureza, produzindo cerca de 450 trabalhos científicos, 22 livros e um grande acervo sobre a Mata Atlântica. Montou 2 instituições científicas (a saber, o Museu de Biologia Professor Mello Leitão e a Estação Biologia Marinha Ruschi) e também colaborou na elaboração da Fundação Brasileira de Conservação da Natureza (FBCN).Defensor atuante e notório do meio ambiente, envolveu-se em brigas públicas com empresas e autoridades pela preservação ambiental, principalmente de “matas virgens com milhares de formas de vida em equilíbrio”. Em 1977, atritou-se fortemente com o então Governador do Espírito Santo, Élcio Álvares, que decretou que fosse instalada uma fábrica de palmito na Reserva Biológica de Santa Lúcia. Nessa reserva havia milhares de orquídeas e árvores catalogadas com placas de identificação, sendo uma das regiões mais ricas em biodiversidade do mundo, mantida intacta por Ruschi por mais de 40 anos. O pesquisador ameaçou matar o governador dentro do Palácio do Governo.



Augusto Ruschi era autoridade mundial em beija-flores e orquídeas; foi um dos primeiros homens a denunciar os efeitos danosos do DDT (utilizado na agricultura) sobre a natureza; a enfrentar a ditadura militar e denunciar o início da derrubada da Floresta Amazônica; a prever a escassez de água no mundo; a prever o aquecimento global; a denunciar o efeito danoso da agricultura em larga escala, com fertilizantes e agrotóxicos. Atribui-se ao brasileiro a ideia original das reservas ecológicas como espaços de preservação de espécies.
Em 1985, a saúde já fragilizada por várias malárias e esquistossomoses que contraiu durante as pesquisas de campo, tornou-se ainda mais frágil como efeito da hepatite C que o acometia. Anos antes, também havia sido envenenado por sapos dendrobatas no Amapá, cujo veneno pode ter comprometido as funções hepática e renal. No dia 23 de janeiro de 1986 reuniu-se com índios no Parque da Cidade, no Rio de Janeiro, para um ritual indígena de purificação e cura dos males, após diversos tratamentos médicos convencionais. O evento comoveu o Brasil, tendo repercussão internacional. Morreu no dia 3 de junho, após agravamento do quadro de saúde. A seu pedido foi enterrado no solo da Reserva Biológica de Santa Lúcia, e coincidentemente, no dia 5, Dia Mundial do Meio Ambiente.

Mais um grande brasileiro - Para o meu amigo Roberto da Silva Rodrigues - ES Mais um grande brasileiro - Para o meu amigo Roberto da Silva Rodrigues - ES Reviewed by BRUNO DINIZ on agosto 03, 2012 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.